retinopatia diabética

O que é retinopatia diabética?

A retinopatia diabética é uma das complicações mais comuns da diabetes. É também uma das principais causas de cegueira em adultos, devido às alterações estruturais que ocorrem nos vasos sanguíneos da retina.

Mais de 150 mil casos da doença são diagnosticados por ano no Brasil. Tem se tornado comum em diabéticos de todas as faixas etárias.

Estima-se que todos os portadores de diabetes tipo 1 e 60% daqueles com o tipo 2 a desenvolvam após 20 anos de doença.

Mas o que é retinopatia diabética?

É uma complicação visual que afeta os pequenos vasos da retina, região do olho responsável pela formação das imagens enviadas ao cérebro.

O aparecimento está relacionado principalmente ao descontrole da glicemia na diabetes, tanto do tipo 1 como do tipo 2. Quando não está controlada, a hiperglicemia desencadeia várias alterações no organismo que, entre outros danos, levam à disfunção dos vasos da retina.

Com a evolução da doença, estes vasos tornam-se incontinentes e libertam sangue ou fluido sanguíneo para o espaço retiniano ou para o vítreo (fluido gelatinoso e transparente que preenche a maioria do interior do globo ocular) causando problemas na visão.

Tipos de retinopatia

Ela pode ser dividida em dois tipos:

  • Não proliferativa: é o tipo menos grave do problema. Apresenta apenas pequenas lesões nos vasos sanguíneos do olho. No início, os efeitos na visão podem ser mínimos, podendo até não apresentar nenhum sintoma
  • Proliferativa: é o tipo mais grave e apresenta grande risco de perda de visão. Provoca o surgimento vasos mais frágeis no olho, que podem romper, piorando a visão ou causando cegueira.

Qual a causa?

A condição pode se desenvolver em qualquer indivíduo que tenha diabetes tipo 1 ou tipo 2. Quanto mais tempo o indivíduo sofra de diabetes e menos controlado o açúcar no sangue, mais provável o desenvolvimento desta complicação ocular.

Com o tempo, muito açúcar no sangue pode levar ao bloqueio dos minúsculos vasos sanguíneos que nutrem a retina, cortando o suprimento de sangue. Como um resultado, o olho tenta desenvolver novos vasos sanguíneos. Porém, estes não se desenvolvem adequadamente e podem escoar facilmente.

Perda de visão

Geralmente, o problema afeta ambos os olhos e, caso não seja diagnosticado e tratado precocemente, pode levar à cegueira irreversível.

A perda de visão pode ocorrer de duas formas. Na primeira, os vasos sanguíneos anormais recém-formados, como são frágeis, rompem-se e libertam sangue na cavidade vítrea, obscurecendo ou até mesmo tirando a visão. Isto, normalmente, acontece nos estágios mais avançados da doença.

Já na segunda forma, o fluido sanguíneo pode sair em forma de gotas para a região macular (parte da retina que corresponde à visão central), provocando edema e, consequentemente, levando à perda de visão. Pode ocorrer em qualquer estágio da retinopatia diabética, embora também seja mais provável em fases avançadas.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em Curitiba!

 

Comentários
Dr. Fabio Sabbag

Posted by Dr. Fabio Sabbag