retinopatia diabética

Retinopatia diabética proliferativa e não proliferativa: entenda a diferença

Como consequência da diabetes, a retinopatia diabética afeta a visão do paciente e causa dificuldade para enxergar, moscas volantes, até mesmo pode deixar o paciente cego.

A doença se manifesta de duas formas: como Retinopatia diabética proliferativa e Retinopatia diabética não proliferativa. A não proliferativa ocorre primeiro. A proliferativa ocorre posteriormente e é mais grave.

Para entender melhor a diferença, listamos abaixo as principais características dos dois tipos.

Retinopatia Diabética Não Proliferativa (RDNP)

É a forma inicial e menos grave da doença. Pode provocar uma perda discreta e moderada da visão.

É detectada quando os vasos sanguíneos do fundo do olho estão danificados, causam hemorragia e vazamento de líquido na retina. Podem ser encontrados microaneurismas, pequenas dilatações vasculares, que causam pequenas saliências. Áreas da retina afetadas pelo derrame podem inchar, causando danos a áreas do campo de visão.

No início, os efeitos na visão podem ser mínimos, mas a visão pode piorar gradualmente. Podem surgir pontos cegos, embora o paciente não repare, sendo descobertos apenas através de exames.

Muitos pacientes, porém, manifestam a forma leve ou moderada e podem até não apresentar nenhum sintoma visual.

Proliferativa (RDP)

É a fase mais avançada da doença e apresenta grande risco de perda de visão. É caracterizada pelo aparecimento de novos vasos sanguíneos, também conhecidos como neovasos, na superfície da retina.

A principal causa da formação de neovasos é a oclusão dos vasos sanguíneos da retina, chamada isquemia, com impedimento do fluxo sanguíneo adequado.

Os neovasos são frágeis e não conseguem levar os nutrientes para o fundo do olho. Eles crescem ao longo da retina sem causar qualquer sintoma ou perda de visão. No entanto, podem romper e liberar sangue, provocando perda de visão severa e até mesmo cegueira.

Frequentemente, esses vasos são acompanhados de uma espécie de cicatriz (tecido cicatricial). A contração desse tecido pode levar a outra grave complicação chamada de descolamento da retina.

Os sintomas da proliferativa podem ser: visão embaçada, pontos flutuantes (manchas escuras) ou flashes de luz no campo de visão, e perda de visão repentina, grave e indolor.

Complicações

Entre as razões para a perda de visão na RDP estão complicações como:

  •     Hemorragia Vítrea: os vasos anormais sangram e causam embaçamento da visão;
  •     Descolamento da Retina Tracional: há formação de cicatrizes no vítreo e na retina que evoluem para o descolamento da retina;
  •     Descolamento da Retina Tracional e Regmatogênico: as cicatrizes causam um buraco na retina levando ao descolamento;
  •     Glaucoma Neovascular: os vasos anormais crescem e fazem a pressão do olho subir e machucar o nervo óptico, o que causa dor ocular.

Além dessas complicações, cerca de metade das pessoas com retinopatia diabética também desenvolvem o edema macular diabético. Ele é causado por acúmulo de líquido na mácula, e é a principal causa de cegueira nas pessoas com diabetes.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em Curitiba!

Comentários
Dr. Fabio Sabbag

Posted by Dr. Fabio Sabbag